12 de julho de 2021

Presidente eleito Fernando Willrich vai assumir em janeiro de 2022 para mandato de três anos: "Grande desafio é fazer um conselho mais alinhado com a realidade do mercado"

Eleito em votação na quarta-feira (7), Fernando Willrich assume a presidência do Creci-SC (Conselho Regional de Corretores de Imóveis) em janeiro de 2022 para uma gestão de três anos. Entre as prioridades, fiscalizar o exercício ilegal da profissão e combater o assédio contra as mulheres.

“O grande desafio é fazer um conselho mais alinhado com a realidade do mercado e que o profissional não o veja como uma entidade meramente arrecadatória”, afirma Willrich.

Atuar contra o exercício ilegal da profissão é uma das prioridades da nova gestão?
Sim. É uma das demandas que apareceram nas conversas com os colegas. A gente vê a cidade crescendo irregularmente e muita gente atuando ilegalmente e de maneira oportunista.

A fiscalização tem que ser orientadora, inteligente, no sentido de valorizar o profissional, contribuindo para redução da atuação irregular e clandestina, que prejudica o mercado como um todo e acaba prejudicando a imagem de quem atua corretamente. Nunca vimos uma atuação firme do conselho em relação a isso.

Outra bandeira da chapa vencedora é combater o assédio às mulheres, não é?
A gente vive numa sociedade extremamente patriarcal. O machismo, assim como outros problemas, é estrutural. Ouvimos de algumas corretoras que elas não ficam à vontade para fazer algum atendimento, mostrar algum imóvel para clientes homens sozinhos, e querem levar um colega junto.

É um absurdo viver isso hoje em dia e o conselho precisa contribuir para esses movimentos de inclusão social e de respeito. Esse assunto tem que ser debatido. Deve ser pauta para que a gente comece a contribuir com essa mudança cultural.

Como o setor vem passando pela pandemia da Covid-19?
O mercado imobiliário em Santa Catarina é pujante e diverso. Em vários locais o corretor que trabalha com compra e venda não sentiu crise por conta de questões como, por exemplo, a redução da taxa de juros. Muita gente migrou os investimentos para o mercado imobiliário.

Em contrapartida o setor de locação teve que negociar muito contrato porque o inquilino perdeu a condição econômica de pagamento.

Fonte:https://ndmais.com.br/economia-sc/nova-gestao-do-creci-sc-vai-combater-atuacao-ilegal-e-assedio-contra-as-mulheres/