Ações da China fecham em alta após garantias do banco central

28 de setembro de 2021

XANGAI (Reuters) - O mercado acionário chinês fechou em alta nesta terça-feira, liderado pelos ganhos em ações imobiliárias depois que o banco central prometeu proteger consumidores expostos ao mercado imobiliário, mesmo com o país enfrentando uma crise energética e preocupações sobre a recuperação da economia.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 0,13%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,54%.

O índice imobiliário do CSI 300 saltou 5,6% depois que o Banco do Povo da China prometeu proteger consumidores expostos ao mercado imobiliário na segunda-feira e injetou mais dinheiro no sistema bancário.

O governo de Shenzhen começou a investigar a unidade de gestão de patrimônio da incorporadora Evergrande, no sinal mais claro até agora de que as autoridades podem agir para conter os riscos de contágio.

O subíndice bancário subiu 1,8% conforme as ações do setor imobiliário da China se recuperaram.

Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,19%, a 30.183 pontos.

Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 1,20%, a 24.500 pontos.

Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 1,20%, a 24.500 pontos.

Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,54%, a 3.602 pontos.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,13%, a 4.883 pontos.

Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 1,14%, a 3.097 pontos.

Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,76%, a 17.181 pontos.

Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,73%, a 3.077 pontos.

Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 1,47%, a 7.275 pontos.

Fonte: https://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2021/09/28/acoes-da-china-fecham-em-alta-apos-garantias-do-banco-central.htm

Alargamento da faixa de areia já impacta na valorização de imóveis em Balneário Camboriú

20 de setembro de 2021

Preço dos lançamentos de imóveis das construtoras de Balneário Camboriú, em Santa Catarina, saltaram 10% desde o início das obras de alargamento da Praia Central. Atualmente, valores variam, em média, entre R$ 37 mil a R$ 42 mil o metro quadrado

Setembro, 2021 – As obras de alargamento da Praia Central de Balneário Camboriú (SC) que irão triplicar a extensão da faixa de areia iniciaram no dia 22 de agosto e já impactaram na valorização dos imóveis lançados frente mar. De acordo com o especialista em investimentos imobiliários e fundador da Sort Investimentos Renato Monteiro, os valores já superam em 10% os preços cobrados antes do final do primeiro semestre de 2021.

“Mesmo antes da conclusão das obras previstas para terminarem em outubro, as pessoas sabem que o aumento da faixa de areia vai trazer mais qualidade de vida e melhorar a mobilidade urbana, especialmente depois da reurbanização. Assim, com as obras ainda em andamento, saindo do papel, o projeto começa a ficar mais concreto, de mais fácil visualização e atinge diretamente o setor imobiliário. Outro fator interessante é que as obras serão concluídas antes da próxima temporada de verão. Logo, a praia terá mais espaços para banhos de sol e esportes, por exemplo”, analisa.

A estimativa de preço foi realizada com base em pesquisas de preço e uso de inteligência artificial que mapeia imóveis anunciados na internet. De acordo com levantamento da Sort Investimentos, em pelo menos três lançamentos, de diferentes construtoras, os apartamentos estão sendo oferecidos ao mercado por preços que variam de R$ 37 mil a R$ 42 mil o metro quadrado. Em abril deste ano, os lançamentos de imóveis à beira-mar estavam avaliados em R$33.500,00 o m2, conforme média de anúncios na internet.

A projeção de Monteiro corrobora com o estudo da consultoria Appraisal Institute, maior associação profissional de avaliadores imobiliários dos Estados Unidos, que avalia praias que tiveram a faixa de areia alargada. De acordo com a pesquisa, as praias norte-americanas que fizeram essa intervenção na faixa de areia registraram valorização de até 2,6% para cada 10% de espaço que foi acrescentado.

“O estudo norte-americano, além do cruzamento de dados, nos fez chegar à conclusão de que as obras em Balneário Camboriú, onde a faixa da areia vai passar de 25 para 70 metros, representando um aumento de 80% em termos de extensão, resultariam em um acréscimo de 20,6% no valor dos imóveis frente mar. Isso significa que, após a conclusão e, principalmente, o início das obras de reurbanização propostas no projeto de Jaime Lerner, muito provavelmente Balneário Camboriú alcançará o título de metro quadrado mais caro do país”, avalia.

Hoje, de acordo com o FipeZap, a cidade ocupa o quarto lugar no país, atrás do Rio de Janeiro, que lidera a lista, São Paulo e Brasília. O preço médio é de R$ 7,4 mil por metr

Outras praias devem ser alargadas

As obras de alargamento da faixa de areia da Praia Central de Balneário Camboriú já inspiram outras cidades. Em Santa Catarina, três praias conhecidas como destinos turísticos de Florianópolis, Ingleses, Jurerê e Armação, também pretendem ampliar a faixa de areia. Os projetos, estão prontos e agora aguardam a licença ambiental para serem executados no final de 2022.

Assim como no Sul do país, outro destino brasileiro, Natal, no Rio Grande do Norte, também pretende ampliar a orla da praia de Ponta Negra, que passará a ter 30 metros de largura na maré alta e até 100 metros na maré seca. A previsão atual é de que a licitação da obra ocorra no início de 2022.

Já em Fortaleza, Ceará, a Praia de Iracema já teve duas obras de alargamento realizadas (em 2020 e 2019) aumentando em 120 metros a faixa de areia. Assim como em Balneário Camboriú, SC, a intenção agora é de reurbanizar a orla da praia e criar ambientes para o lazer e prática de esportes.

Fonte: https://www.bcnoticias.com.br/alargamento-da-faixa-de-areia-ja-impacta-na-valorizacao-de-imoveis-em-balneario-camboriu/

Foto: https://www.bcnoticias.com.br/alargamento-da-faixa-de-areia-ja-impacta-na-valorizacao-de-imoveis-em-balneario-camboriu/

Evento inédito debate a vida e a gestão de condomínios pós-pandemia

14 de setembro de 2021

Congresso online apresenta novidades para administradores, síndicos e moradores de condomínios de todo Brasil

Como será feita a administração dos condomínios depois da pandemia? Que inovações tecnológicas, habilidades profissionais, normas jurídicas e prestadores de serviços serão necessários para fazer a gestão de áreas comuns em todo Brasil?

Esses questionamentos levaram um grupo de empresários a se reunir e formatar o 1º Meeting de Administração Condominial – evento inédito no país e que acontecerá de maneira online nos dias 22 e 23 de setembro. As inscrições gratuitas já podem ser feitas pelo www.e-inscricao.com/aacep/meetingaacep

 
 “Vamos compartilhar diversas informações e novidades para síndicos, moradores, administradores e empresas que atuam com elevadores, limpeza, segurança, tecnologias e sistemas, reformas e manutenção, vigilância, garantidora e concessão de crédito, seguros, gás, mercados e outras áreas do negócio”, explica Luiz Fernando Martins Alves, presidente da Associação das Administradoras de Condomínios do Estado do Paraná (AACEP).

Longe da crise
A AACEP representa mais de mil condomínios em todas as regiões paranaenses e atua para profissionalizar cada vez mais esse ramo de atividades.

 De olho neste segmento que cresce anualmente – em especial nas médias e grandes cidades do país – empresas como Superlógica, Acquasul Poços Artesianos, TKE, Alcatraz Segurança Privada, Fino Crédito, HikVision Mercado do Alarme, NeoPort Portarias Inteligentes, Sicredi, Usegás e Market4u já confirmaram a participação no meeting.

Segundo informações da Receita Federal, existem cerca de 500 mil condomínios registrados na base de dados, que somam aproximadamente R$ 60 bilhões em taxas condominiais por ano. “Não temos números precisos, mas a estimativa é que a receita anual movimentada pelos condomínios brasileiros beira os R$ 800 bilhões”, ressalta Martins Alves.

Além dos números, o presidente da AACEP salienta a preocupação com os cuidados nos trabalhos e o profissionalismo de toda cadeia de serviços para gerar mais tranquilidade a quem reside em condomínios em todo Brasil.

Programação
No dia 22 de setembro a primeira atividade será com o doutor em Direito pela PUC-SP, Rubens Carmo Elias, que ministra a palestra “Soluções de conflitos condominiais por métodos de autocomposição”.

Em seguida é a vez do juiz federal do trabalho, Marlos Melek, falar sobre “Onde os empregadores mais erram”. Na sequência, o jornalista e vereador Herivelto Oliveira – criador do canal Brasil de Cor, no YouTube – fala sobre “Diversidade cultural em condomínios”.

Pouco depois, o diretor de marketing da Superlógica, André Baldini, ministra a palestra “O que o bom relacionamento entre vizinhos tem a ver com um negócio de R$ 800 bi por ano”. Logo após, o executivo Edvaldo Nunes fala sobre “Os segredos do atendimento de excelência”.

No dia 23 de setembro, uma comissão de três advogados especialistas na área condominial [Débora Camaroski, Luciano de Souza, Karel Marik] discorre sobre a “Responsabilidade civil e criminal do síndico”. Em seguida é a vez da coordenadora da Câmara de Direito, Orientação e Prevenção da Associação Comercial do Paraná, Natália Brotto, falar sobre a “LGPD aplicada aos condomínios e administradoras de condomínios”.

Pouco depois, os empresários João Felipe Motter Gottschild e Marcio Favarim ministram conferência sobre as “Tendências do mercado imobiliário pós pandemia”. Posteriormente, o coach Bob Floriano fala sobre “O poder da comunicação assertiva: mais resultados, menos conflitos, transparência total”. E para fechar a programação, o engenheiro Márcio Albano Ribas coordena a palestra “Em que fase estamos da sustentabilidade condominial?”.

Além das apresentações, haverá bate-papos com especialistas do setor e representantes das empresas patrocinadoras.

Serviço
O que: 1º Meeting de Administração Condominial AACEP
Quando: Dias 22 e 23 de setembro
Onde: Transmissão pelo YouTube
Quanto: As inscrições gratuitas já podem ser feitas pelo www.e-inscricao.com/aacep/meetingaacep

Fonte: Visor Notícias