Vacinação em massa deve aquecer atividade imobiliária, afirma especialista de Balneário Camboriú

19 de julho de 2021

Renato Monteiro, especialista em investimento imobiliário, afirma que quanto maior o número de pessoas imunizadas mais rápida será a retomada de atividades turísticas, eventos e entretenimento, as quais geram reflexos em investimentos e na locação de salas comerciais, casas de temporada e outros imóveis.

Com a expectativa de aceleração da vacinação contra a Covid-19, associada à projeção otimista para o PIB em 2022, especialistas têm projetado alta para os mais diversos setores. Mesmo o mercado imobiliário, que registrou alta 9,8% nas vendas em 2020 de acordo com Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), deverá continuar em alta nos próximos anos, segundo especialista em investimentos imobiliários e CEO da Sort Investimentos Renato Monteiro.

“A verdade é que o mercado de imóveis era um gigante que estava adormecido e que acordou com a pandemia por conta da volatidade de outros investimentos conservadores e a segurança que esse mercado imobiliário traz ao investidor. Para os próximos anos, vemos como o mercado está otimista tanto por conta da projeção de alta do PIB (em cerca de 2,3% para 2022) como pela expectativa de aceleração da vacinação”, avalia.

De acordo com Monteiro, outras experiências internacionais podem servir de parâmetro para essas análises e a relação entre o aumento das vendas de imóveis e a imunização em massa. “Os Estados Unidos, por exemplo, que tem mais da metade (51%) da população adulta norte-americana imunizada, teve um crescimento de 15% na venda de imóveis neste primeiro trimestre de 2021, segundo pesquisas. E os especialistas por lá, os quais também atuamos em parceria, confirmam essa relação direta com a vacinação porque a venda de imóveis muitas vezes depende da visitação e circulação de clientes em espaços físicos”, avalia o CEO da Sort Investimentos, que teve passagem pelo mercado imobiliário norte-americano e conta com suporte internacional de grandes escritórios dos Estados Unidos como Howard Morrel Team, especialistas em imóveis de alto luxo de Manhattan, e da Elite International, que atua no mercado da Flórida.

Novo contexto econômico no último trimestre

Monteiro ainda acredita que a vacinação em massa também irá contribuir para um a criação de um novo contexto econômico no quarto trimestre de 2021. “É importante os esforços governamentais para imunizar a população. Se houve vários fatores que levaram o mercado imobiliário a crescer em 2020 – como queda das taxas de juros (atrelada à Selic mais baixa da história) e até mesmo o maior tempo em casa (que potencializou a pesquisa por casas maiores e mais confortáveis) – o menor nível de restrições poderá contribuir para o avanço ou até mesmo a manutenção da alta de vendas do mercado imobiliário brasileiro. Algo que, certamente, iremos observar especialmente no último trimestre de 2021”, ressalta.


Fonte: https://www.bcnoticias.com.br/vacinacao-em-massa-deve-aquecer-atividade-imobiliaria-afirma-especialista-de-balneario-camboriu/

Nova gestão do Creci-SC vai combater atuação ilegal e assédio contra as mulheres

12 de julho de 2021

Presidente eleito Fernando Willrich vai assumir em janeiro de 2022 para mandato de três anos: "Grande desafio é fazer um conselho mais alinhado com a realidade do mercado"

Eleito em votação na quarta-feira (7), Fernando Willrich assume a presidência do Creci-SC (Conselho Regional de Corretores de Imóveis) em janeiro de 2022 para uma gestão de três anos. Entre as prioridades, fiscalizar o exercício ilegal da profissão e combater o assédio contra as mulheres.

“O grande desafio é fazer um conselho mais alinhado com a realidade do mercado e que o profissional não o veja como uma entidade meramente arrecadatória”, afirma Willrich.

Atuar contra o exercício ilegal da profissão é uma das prioridades da nova gestão?
Sim. É uma das demandas que apareceram nas conversas com os colegas. A gente vê a cidade crescendo irregularmente e muita gente atuando ilegalmente e de maneira oportunista.

A fiscalização tem que ser orientadora, inteligente, no sentido de valorizar o profissional, contribuindo para redução da atuação irregular e clandestina, que prejudica o mercado como um todo e acaba prejudicando a imagem de quem atua corretamente. Nunca vimos uma atuação firme do conselho em relação a isso.

Outra bandeira da chapa vencedora é combater o assédio às mulheres, não é?
A gente vive numa sociedade extremamente patriarcal. O machismo, assim como outros problemas, é estrutural. Ouvimos de algumas corretoras que elas não ficam à vontade para fazer algum atendimento, mostrar algum imóvel para clientes homens sozinhos, e querem levar um colega junto.

É um absurdo viver isso hoje em dia e o conselho precisa contribuir para esses movimentos de inclusão social e de respeito. Esse assunto tem que ser debatido. Deve ser pauta para que a gente comece a contribuir com essa mudança cultural.

Como o setor vem passando pela pandemia da Covid-19?
O mercado imobiliário em Santa Catarina é pujante e diverso. Em vários locais o corretor que trabalha com compra e venda não sentiu crise por conta de questões como, por exemplo, a redução da taxa de juros. Muita gente migrou os investimentos para o mercado imobiliário.

Em contrapartida o setor de locação teve que negociar muito contrato porque o inquilino perdeu a condição econômica de pagamento.

Fonte:https://ndmais.com.br/economia-sc/nova-gestao-do-creci-sc-vai-combater-atuacao-ilegal-e-assedio-contra-as-mulheres/

Segundo pesquisas, mercado imobiliário e serviços on-line crescem no Brasil

05 de julho de 2021

O crescimento das transações imobiliárias e outros serviços digitais dobrou nos últimos anos, muito por influência da pandemia de Covid-19. Profissionais da área falam da adequação de tal mercado ao Marketing Digital

O acesso cada vez maior aos meios digitais proporcionado por dispositivos como smartphones e tablets aumentou a procura por serviços e produtos on-line. Não só o e-commerce aumentou no Brasil, mais que dobrando o número de itens vendidos em relação ao mesmo semestre do ano passado, chegando a 78,5 milhões de compras segundo o site E-commerce Brasil, mas cresceram também as transações imobiliárias em geral, levando as operações de serviços e vendas para uma escala macro.

Segundo um levantamento realizado pelo MoneyTimes, ano passado o número de negociações on-line chegou a 90,8 milhões de pedidos. Nesse cenário, muitas empresas e plataformas tiveram que se adaptar para essa tendência que superou as expectativas de crescimento, tendo sido acelerada muito por conta do confinamento causado pela pandemia do novo coronavírus.

Uma outra perspectiva de vendas teve que ser formulada para além dos sites de vendas já conhecidos pela população em geral. Anúncios em vídeos, em mídias sociais, em resultados de buscas através do SEO, entre outros mecanismos, ganharam força e compõem o que se chama hoje de Marketing Digital.

Segundo Henrique Ignácio, coordenador de Marketing Digital na Bild Desenvolvimento Imobiliário, "é possível fazer marketing digital de forma eficiente, pois cada negócio tem desafios particulares que exigem uma estratégia dedicada. O cliente que busca um serviço desse tipo deve contratar uma equipe que analise as particularidades de sua empresa para orientá-lo com estratégias específicas de performance, inbound marketing, marketing de conteúdo e gestão de redes sociais". Henrique ainda conta que já testemunhou o crescimento de construtoras do ramo imobiliário em 100% em plena pandemia, tudo por conta de uma boa estratégia de Marketing Digital.

Guilherme Lacerda, sócio-diretor da Alaska Marketing Digital, acredita que não é preciso milhões de reais para que se obtenha resultados com marketing digital. Segundo ele, por meio de método científico, psicologia, estatística, UX e design, análise web, pesquisa, copywriting e senso comercial, é possível chegar lá de forma escalável. "Como já dizia Claude C. Hopkins: Não podemos ir atrás de milhares de homens até aprendermos a ganhar um. Foi por meio de experimentos e análise de dados que conseguimos escalar a operação da BILD Desenvolvimento Imobiliário e conquistar esses resultados." afirma.

Dentro do ramo imobiliário, ainda como exemplo, a procura por serviços on-line tem adesão de grande parte dos investidores e, segundo pesquisa realizada pelo portal Imovelweb, pelo menos 30% dos entrevistados chegariam a fechar contratos on-line, sem visita ao local que seria alugado ou comprado. Tal ação é possível por conta das plataformas se adaptarem cada vez mais ao formato digital.

Henrique chama a atenção para dados que devem ser considerados na hora de construir uma ação de marketing digital. "Sabemos, segundo relatório realizado pela Neotrust, que existe um perfil definido no padrão de consumo de itens específicos e quem está interessado. Por exemplo, que a região Sudeste é a maior consumidora e que grande parte das pessoas que buscam os produtos mais vendidos (roupas, calçados, eletrônicos, livros e brinquedos) é composta por mulheres de 36 a 50 anos". O coordenador de Marketing adiciona que levar em conta esses aspectos é essencial para o produtor ou revendedor e profissionais competentes sabem como colocar tudo isso em prática para que o cliente tenha êxito".

Fonte: https://www.terra.com.br/noticias/segundo-pesquisas-mercado-imobiliario-e-servicos-on-line-crescem-no-brasil,03a0f06277f7c9f89f4f3fd4aa1be42fxas31ler.html